Murilo Flores


4 Princípios de um verdadeiro servo
18 de novembro de 2008, 19:55
Filed under: Uncategorized

Olá! amados quero lhe deixar um estudo muito importante do Ronaldo Bezerra que sei vai edifar muito a sua vida como edificou a minha. Deus te Abençoe!

Murilo T. Flores

Filipenses 2:3-11.1- “Nada façais por contenda ou vanglória”.Esta frase se dirige muito bem aos músicos, porque a maioria deles tocam suas músicas por vanglória. No mundo se diz que a maior recompensa para o artista são os aplausos. Vanglória – exaltação ao homem.

 

 

O músico tem a necessidade de que o reconheçam e o aplaudam como alguém importante. É por isso que há contendas entre grupos, porque um quer aparecer mais do que o outro. “O que ama a contenda ama o pecado; o que faz alta a sua porta facilita-lhe a queda” (Pv 17:19). “A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito, a queda” (Pv 16:18). “Quem a si mesmo se exaltar será humilhado; e quem a si mesmo se humilhar será exaltado” (Mt 23:12).

Por isso, se ao tocar, cantar e ministrar, sua motivação for receber aplausos, receber “glória” e reconhecimento, não faça, pois você deverá dar contas diante de Deus. Antes de fazer qualquer coisa, devemos examinar nossas motivações.

2- “Cada um considere os outros superiores a si mesmo”.

Muitos estão preocupados com a rivalidade e a competição, ou seja, quem é o melhor ou pior. Existem alguns que disputam para ter o melhor instrumento, o melhor equipamento, ou quem é a melhor banda, se é “X” ou “Y”, quem está tocando ou cantando melhor, quem equaliza melhor o som, quem dança melhor, etc. Porque não consideramos a possibilidade de que existe alguém melhor do que nós? Porque sempre temos que ser os melhores?

Outros se acham os “donos do púlpito” ou “donos do ministério”, e logo dizem: “Quem manda aqui sou eu!”. Autoridade não se impõe, se conquista. O dia que precisarmos lembrar as pessoas sobre quem dá as ordens, ou quem é que manda, é porque na verdade já perdemos a autoridade, então nos tornamos tiranos e autoritários. A autoridade é conquistada por uma vida de serviço. Lembre-se: Quem não está debaixo de autoridade não pode exercer autoridade.

O que observamos hoje entre os músicos é a dificuldade de cederem seu lugar em favor de outros, diferentemente de Romanos 12:10: “Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros”. O amor se expressa através do serviço: “Nisto conhecemos o amor, em que Cristo deu a sua vida por nós; e devemos dar a nossa vida pelos irmãos” (I Jo 3:16).

Considere isto: Quando alguma pessoa está fazendo algo em seu lugar você se alegra ou fica analisando cada detalhe do que ela está executando? Você participa do culto tranqüilo, sem se importar se ela está executando o serviço bem ou mal? Se ela falhar no serviço você levará palavras de ânimo e consolo à esta pessoa, ou irá se alegrar no erro cometido? Se você é do tipo de pessoa que não cede o seu lugar para ninguém ou fica incomodado quando alguém está em seu lugar ministrando, ou ainda se alegra com o erro dos outros, é porque você ainda não entendeu o que significa considerar os outros superiores a você.

3- “Não atente cada um somente para o que é seu, mas cada qual também para o que é dos outros”.

A tarefa de um servo é justamente atentar para que o que é dos outros. Se desejarmos ser servos verdadeiros, precisamos pensar menos em nós, e mais nos outros. “Ninguém busque o seu próprio interesse; e, sim, o de outrem” (I Co 10:24). Quando pensamos nos outros mais do que em nós mesmos, Deus cuida de nós melhor do que se estivéssemos cuidando de nós mesmos.

Que possamos ter atos generosos entre nós, preocupando-nos sempre com as necessidades dos irmãos em todas as áreas: material, espiritual e emocional.

4- “De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve em Cristo Jesus”.

Qual foi o sentir de Cristo? Sendo Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus, se esvaziou, assumiu forma de servo, se humilhou e foi obediente (Fl 2:6-8).

Jesus vivia numa atitude constante de humildade: “Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para as vossas almas” (Mt 11:29). Assim deve ser o nosso modo de viver e pensar, algo que o Senhor estabeleça em nossas vidas.

Precisamos ter intimidade com o Senhor para conhecermos qual é a maneira de pensar, sentir e agir do nosso mestre. “Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também” (Mt 13:15). Sejamos imitadores de Jesus!

Como alcançar o perfil de um verdadeiro adorador? Uma das características de um verdadeiro adorador é o seu espírito de serviço a Deus e as pessoas.

Ronaldo Bezerra
http://www.gospelmusiccafe.com.br

Anúncios


“O que a VEJA não viu!”
14 de novembro de 2008, 13:54
Filed under: Uncategorized

img_veja1

“O que a VEJA não viu”, essas foram umas das palavras da Ana Paula Valadão Bessa que é pastora e líder do ministério diante do trono, a revista VEJA publicou uma matéria sobre o caso da menina Lúcelia que foi tortura em um apartamento, a revista fez uma colocação totalmente fora da realidade de Lúcelia, a jornalista Ana Beatriz Magno colocou palavras que na verdade traz a imaginação que Ana Paula tem como objetivo de usar a imagem da menina, a jornalista escreveu assim:“Aqui, ela foi tocada por Jesus e conheceu nosso trabalho religioso”, explicou Ezenete. A pastora Ana Paula colocou em seu site uma foto sua abraçando Lucélia e gravou um clipe gospel com a participação da menina, que será lançado em breve.” 

“No abrigo, Lucélia recebe visitas, presentes, mensagens de solidariedade, mas, ao menos oficialmente, ninguém ainda se dispôs a adotar a menina. Na semana passada, o juiz Maurício Rosa autorizou Lucélia a comemorar seu aniversário de 13 anos em companhia das pastoras evangélicas mineiras. Foi uma promessa feita a ela depois da gravação do clipe.”(fonte:http://veja.abril.com.br/121108/p_118.shtml )

Não sabemos qual foi a intenção da jornalista ao escrever essa matéria mais ao que entendemos ela não fez bem ao fazer esses comentários, mais a pastora Ana Paula não deixou isso simplesmente assim ela colocou no site do ministério palavra do que realmente aconteceu e descreve erros que a jornalista cometeu com suas palavras, ela diz assim: “Para nossa triste surpresa, esta semana a revista Veja publicou uma matéria muito infeliz assinada pela repórter Ana Beatriz Magno. Infeliz porque não nos tratou com verdade. A matéria com o título “Dor sem hora para acabar” nos classifica como aproveitadores que exploram o sofrimento da menina, que segundo eles, parece não ter fim.” 

Quando a repórter ligou para a Pra. Ezenete ela realmente não quis dar a entrevista. Ela tinha acabado de voltar de Portugal, onde mora um de seus filhos, e não tinha ainda nada acertado sobre o assunto, e muito menos conversado com a Lucélia. Aliás, ela nem tinha falado com o juiz, uma vez que a família ainda não tinha definido sobre a adoção. Sendo assim Ezenete pediu à jornalista Ana Beatriz Magno que nada fosse publicado ainda. Não havia definições. Mas assim que ela conversasse com o juiz, ela daria a entrevista com prazer. Porém, a repórter não voltou a procurá-la.”  

“Quanto à minha parte nesta história, desde o princípio tomei muito cuidado para não expor a Lucélia. Ela jamais subiu sequer no púlpito de nossa Igreja, e nem a nossa TV, a Rede Super, tinha feito qualquer matéria com ela, a não ser depois que todos os demais veículos começaram a nos procurar. Ou seja, não exploramos o fato de estarmos ajudando a Lucélia. Esse nunca foi nosso interesse.”

“Aliás, sutilmente fomos acusados de estarmos nos aproveitando da menina, porém a repórter não mencionou que ela mesma se aproximou da Lucélia como uma amiga, entrando em contato diversas vezes para conversar de forma informal e oferecendo até mesmo o número do seu telefone para a garota desabafar. Todas as declarações citadas na matéria foram dadas por Lucélia à repórter Ana Beatriz na época em que ela esteve na Mabel, ou seja, antes do processo de adoção ser iniciado; o que mais uma vez comprova a ausência de uma apuração séria sobre um assunto tão delicado.”

“Ah, e só mais um recado – A dor de Lucélia tem hora pra acabar sim. Nós estamos fazendo a nossa parte, mas saibam que ao ver a reportagem, ela ficou desesperada e sofreu outra vez. Por favor, se vocês não querem ajudar, ao menos não atrapalhem.

Indignada, mas tranqüila, respaldada pela verdade, e respondendo como o Senhor ao ser incompreendido: “A sabedoria é justificada pelas suas obras”.”(Fonte:http://www.diantedotrono.com.br)

A jornalista Ana Beatriz Magno se enganou com a intenção da Ezenete e de Ana Paula elas somente querem ajudar a menina Lúcelia e nada mais espero que possamos fazer o mesmo papel de melhorarmos a vida do nosso próximo com amor e compaixão.

Murilo T. Flores

Deus te Abençoe!



A escolha da Rainha
11 de novembro de 2008, 21:08
Filed under: Uncategorized

A escolha da rainha

ESTER 1.12-2.4
Mas a rainha não atendeu a ordem do rei, e por isso ele ficou furioso. Antes de tomar qualquer decisão, o rei consultava os entendidos em questões de lei e de costumes. Portanto, mandou chamar os conselheiros em quem ele tinha mais confiança, isto é, Carsena, Setar, Admata, Társis, Meres, Marsena e Memucã. Estes eram os sete ministros da Pérsia e da Média que ocupavam as mais altas posições no reino e serviam como conselheiros íntimos do rei. Ele perguntou: – Eu, o rei Xerxes, mandei por meio dos meus servidores uma ordem à rainha Vasti, mas ela não obedeceu. De acordo com a lei, o que deve ser feito? Aí Memucã disse ao rei e aos seus ministros: – O que a rainha fez é uma ofensa não somente contra o senhor e os seus ministros, mas também contra os homens de todas as províncias do reino. Pois, quando em todo o reino as mulheres souberem do que a rainha fez, elas irão desprezar os seus maridos. E vão dizer : “O rei Xerxes mandou buscar a rainha Vasti, e ela não foi.” Hoje mesmo – continuou Memucã – as mulheres das altas autoridades da Pérsia e da Média vão saber do que a rainha Vasti fez e vão contar aos seus maridos. E por toda parte as mulheres não respeitarão os seus maridos, e os maridos ficarão zangados com as suas mulheres. Portanto, se for da sua vontade, ó rei, assine um decreto proibindo a rainha Vasti de aparecer na presença do senhor. E mande escrever isso nos livros das leis da Pérsia e da Média, para que nunca possa ser anulado. Depois arranje uma mulher que seja melhor do que Vasti, para ser rainha no lugar dela. Quando a ordem do rei for anunciada por todo este enorme reino, então todas as mulheres tratarão com respeito os seus maridos, sejam ricos ou pobres. O rei e os seus ministros gostaram da idéia, e ele fez o que Memucã tinha sugerido. Ele enviou cartas a todas as províncias do reino, cada carta na língua e na escrita de cada província e de cada povo, mand ando que todo marido fosse chefe da sua casa e que tivesse sempre a última palavra.

Mais tarde a raiva do rei já havia passado, mas mesmo assim ele continuava a pensar no que Vasti havia feito e no decreto que ele havia assinado contra ela. Aí alguns dos seus servidores mais íntimos lhe disseram: – Ó rei, mande buscar as mais lindas virgens do reino. Escolha funcionários em todas as províncias e ordene que tragam as moças mais bonitas para o seu harém aqui em Susã, a capital. Hegai, o eunuco responsável pelo harém real, tomará conta delas e fará com que recebam um tratamento de beleza. E então, ó rei, que a moça que mais lhe agradar seja a rainha no lugar de Vasti. O rei gostou da idéia e fez o que lhe sugeriram.  (Fonte: sbb)

Murilo T. Flores



Adorar-te 8
8 de novembro de 2008, 18:57
Filed under: Uncategorized

Olá pessoal blog novo vida nova!!!!!!!!! estou colocando o vídeo do Adorar-te 8 para que vocês assistirem uma das músicas ministradas!!!!!!!!!!!

Deus te Abençoe!!!!

Murilo Flores



Chamado
6 de novembro de 2008, 20:24
Filed under: Uncategorized

reunidos1

O que eu vou fazer para o reino de Deus?… dançar?, cantar?, pregar?

Um dos grandes conflitos hoje na vida de um cristão é a seguinte pergunta: O que vou fazer para o reino de Deus?, existe muitas coisas a serem feitas no reino do Pai Celestial mais temos que saber qual é a nossa função e qual é o nosso lugar, Deus chamou Davi para ser rei e chamou moisés para tirar o povo do egito e levar para terra prometida então são duas funções que cada um sabia qual era o seu chamado, se você não tem chamado para cantar ou dançar no ministério da igreja não fique frustrado você vai descobrir que o seu chamado pode ser para pregar, teatro, intercessão ou aconselhamento, em algum ministério você vai se encaixar basta buscar a direção de Deus para saber onde Ele quer a sua vida trabalhando para o rei Dele, faça de todo o coração a função que você desempenha no reino não importa se é a menos reconhecida o importante que Deus sabe o que você tem feito com amor e carinho abraçe o seu chamado e lute para que os seus sonhos não venham se frustrar.

Deus te Abençoe!

Murilo Flores